Conheça 7 indicadores contábeis que a sua empresa deve acompanhar!

6 minutos para ler

Indicadores são ótimas formas de garantir um maior controle e monitoramento da atual situação da empresa, com dados que sustentem tomadas de decisões mais eficientes no negócio. Eles possuem, também, fundamental importância no setor contábil.

Por exemplo, é por meio deles que é possível elaborar propostas interessantes para possíveis investidores, que podem contribuir para o crescimento e expansão da empresa, avaliar o momento de realizar modificações positivas para o negócio, ter um melhor gerenciamento de crise, entre uma série de outros pontos importantes, bem como garantir a resolução de problemas de ordem financeira da organização.

Diante desta importância, vamos mostrar 7 indicadores contábeis fundamentais para seu negócio. Boa leitura.

1. Índice de liquidez

A liquidez é um dos indicadores contábeis mais observados nas empresas. Ela diz respeito aos índices de capacidade de uma organização em saldar suas dívidas. Esse índice pode ser dividido em quatro:

  • liquidez corrente: ele mostra se o negócio tem capacidade de arcar com despesas de curto prazo com os valores disponíveis de ativos circulantes;
  • liquidez seca: é bem semelhante ao indicador de liquidez corrente, porém, o estoque não é incluído no cálculo de ativo circulante;
  • liquidez imediata: é a relação direta entre o valor disponível no momento e as dívidas de curto prazo. Tende a ser um índice mais conservador e leva menos variáveis em consideração;
  • liquidez geral: é uma avaliação de liquidez a longo prazo, sendo calculada para um período de 12 meses e é fundamental que seu índice seja sempre maior do que 1, para mostrar que a empresa consegue arcar com todas as dívidas.

As três primeiras utilizam, principalmente, a relação do ativo circulante em relação ao passivo circulante, avaliando todos os pontos que podem ser resolvidos a curto prazo. Já o índice de liquidez geral considera, além dos grupos circulantes, o realizável em longo prazo, bem como o passivo não-circulante. Com isso, é possível avaliar se dá para cobrir as obrigações totais da organização.

2. Índice de endividamento

Indica quais são as contas que a sua empresa está em débito ou, então, a quantia da empresa que se encontra nas mãos de terceiros. Ele é fundamental para a percepção sobre a saúde da organização e decisão sobre a necessidade de realizar algum tipo de intervenção para resolução da questão.

Isso porque, por exemplo, quanto mais alto for o índice de endividamento, maior deverá ser a cautela para investimentos e ações de risco, podendo levar a perdas de oportunidades interessantes para o negócio.

Além disso, quando esses valores estão altos, pode-se ter uma maior dificuldade para conseguir financiamentos e empréstimos que poderiam viabilizar ações de investimento no negócio (como trocas de maquinário e frota), bem como depreciar o valor de venda da organização, caso queira.

Seu cálculo pode ser realizado por meio da seguinte fórmula: valor total do passivo / valor total do ativo * 100. O ideal é que o resultado seja menor do que 1%.

3. Índice de rentabilidade

A rentabilidade é outro indicador contábil importante e de grande atenção para as organizações. Ele diz respeito à capacidade que empresa tem de obter o retorno sobre o investimento realizado, analisando se os resultados são positivos ou negativos.

Alguns pontos são analisados para gerar o índice de rentabilidade, tais como:

  • retorno sobre o investimento (ROI);
  • retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE);
  • margem bruta;
  • margem líquida.

Ele deve ser analisado em conjunto com os demais índices listados aqui, bem como é utilizado para uma série de decisões internas, como a precificação de produtos e serviços.

4. Indicadores de solvência geral

Ele diz respeito a graus de garantia que a sua empresa tem para oferecer em casos de venda da organização, solicitação de financiamentos, contato com investidores, entre outros. Isso é mensurado por meio da disposição de ativos (totais) para pagamento das dívidas totais do negócio. Entram nessa conta tanto os recursos líquidos quanto os permanentes.

É fundamental que o resultado seja menor do que 1, evidenciando uma boa capacidade de solução de dívidas da organização.

5. Custos

Esse é um indicador contábil importantíssimo para avaliar quais são os custos envolvidos nas atividades da sua empresa, garantir maior controle e verificar quais são as possibilidades de redução neles, quando necessário.

É preciso avaliar esse indicador por meio das despesas fixas e variáveis. São os principais de cada categoria:

  • fixos: aluguel, salário dos colaboradores, valores contábeis, pagamento de serviços terceirizados, entre outros;
  • variáveis: dependem do volume de vendas ou da produtividade da organização.

6. Lucratividade

A lucratividade, apesar de ser semelhante, não é o mesmo que rentabilidade. Esse indicador diz respeito ao valor que sobra em relação às vendas após o pagamento de obrigações como tributos e demais custos da organização.

Seu cálculo é feito da seguinte forma: lucro líquido / receita bruta * 100. Com isso, você consegue avaliar qual foi o percentual de lucratividade naquele determinado período. Esse índice pode ser analisado em períodos mensais, semestrais e anuais.

7. Ticket médio

O ticket médio é um indicador útil para planejamento estratégico das organizações. Seu cálculo é feito com base no faturamento que é obtido nas vendas de um determinado produto, cujo valor é dividido pelo número absoluto de vendas em um período.

Ele está diretamente relacionado, por exemplo, com a rentabilidade e lucratividade do negócio. Em caso de problemas nos indicadores anteriores, por exemplo, investir em estratégias para o aumento do ticket médio podem ser uma forma importante para aumentar esses outros índices.

Os indicadores contábeis que mostramos acima têm um papel fundamental para a manutenção e crescimento da sua empresa. Por exemplo, se os indicadores de liquidez estão abaixo de 1, significa que há um grande risco de que o negócio se endivide ao longo do tempo, gerando descontrole financeiro e assim, torna-se necessário aumentar o capital de giro.

Muitas vezes isso pode ocorrer por uma escolha da empresa, baseando-se em previsões de rentabilidade e lucratividade futuras, que compensem esses problemas pontuais de liquidez. Em outros casos, podem indicar possíveis descontroles e, portanto, exigir medidas que minimizem os impactos nas finanças do negócio.

Por isso, é fundamental estar atento a essas questões e manter um controle consistente e periódico sobre elas. Assim, garante-se maior eficácia contábil e sua empresa consegue um crescimento em suas ações no mercado, sem colocá-la em risco. Além disso, você pode evitar erros nessa área ao terceirizar a contabilidade. Interessante, não é mesmo?

Gostou deste conteúdo sobre indicadores contábeis? Ficou alguma dúvida sobre o tema? Deixe aqui suas opiniões e perguntas nos comentários!

Você também pode gostar

Deixe um comentário