Confira o passo a passo para gerenciar capital de giro da melhor forma

6 minutos para ler

No mundo empresarial, as adversidades estão presentes a todo momento. Saber lidar com isso vai muito além de conquistar os clientes. Controlar e manter a saúde financeira de uma empresa está diretamente ligado ao saber gerenciar capital de giro!

Conseguir organizar a dinâmica de um empreendimento para que ele por si só se financie é fundamental para que não haja a necessidade de recorrer a empréstimos de terceiros ou o pagamento de multas e juros, o que consequentemente afeta os resultados financeiros.

Neste post, traremos as principais informações de como gerenciar capital de giro. Não perca mais tempo, leia atentamente e confira!

O que é capital de giro?

Esse item é um dos mais comentados entre os empreendedores. Quantas vezes você ouviu falar que a maior dificuldade dos gestores é quanto ao capital de giro?

Basicamente, capital de giro é todo valor que pode ser transformado em dinheiro em curto prazo, honrando com as obrigações financeiras do empreendimento. Quando ocorre a falta desse recurso, o empreendimento passa a recorrer a terceiros, aumentando seu índice de endividamento.

Um exemplo básico da importância de gerenciar capital de giro é nos períodos de menor volume de receitas. As empresas que não possuem reservas financeiras podem sofrer com épocas de menor movimentação nas vendas.

Suponha que uma empresa que trabalha com vendas de roupa de verão tem seu faturamento reduzindo devido à variação climática, entretanto as despesas fixas e variáveis continuam, independentemente do avanço ou retrocesso do mercado. Nesse exemplo, se a empresa dependesse apenas do valor da receita atual, acabaria indo à falência. Por esse motivo é preciso estar preparado para os períodos sazonais.

Para um controle eficaz desse montante, é necessário utilizar ferramentas que se alinhem com as necessidades do negócio, além de proporcionar seguridade na tomada de decisão.

Como calcular o capital de giro?

Não é de hoje que a contabilidade se tornou indispensável dentro dos empreendimentos. Ela deixou de ser um ramo estritamente fiscal e passou a dar suporte gerencial aos diferentes níveis hierárquicos.

Por ser o final do funil, a contabilidade pega todos os dados e os transforma em informações. A partir disso, são estruturados demonstrativos obrigatórios e também relatórios configurados conforme as especificações de cada negócio.

Quando falamos em como gerenciar capital de giro, devemos entender como calcular esse item. Para isso é necessário ter em mãos o Balanço Patrimonial disponibilizado pela contabilidade.

Para calcular o capital de giro você deve utilizar as contas do ativo circulante e passivo circulante. Lembrado que o ativo circulante representa todos os bens e direitos que podem ser transformados em dinheiro dentro do exercício vigente, já o passivo circulante são todas as obrigações que devem ser pagas dentro do curto prazo.

Em posse desses dados utiliza-se a seguinte fórmula para calcular o capital de giro:

Capital de giro = ativo circulante – passivo circulante

Como gerenciar capital de giro?

Todos os processos de um empreendimento são cíclicos, logo o planejamento é necessário. Porém, só isso não é suficiente, é preciso cumprir algumas etapas e atualizar os dados constantemente para que as informações não fiquem obsoletas.

Estruture um planejamento

O capital de giro é imprescindível em qualquer negócio, então é necessário estruturar um planejamento de quanto a empresa precisa para se manter ativa no mercado.

Como já mencionado, há momentos em que o faturamento por ser afetado por diversos motivos, logo não se preparar para isso pode ser um grande risco. Quando existe um planejamento condizente com a realidade do empreendimento, as margens almejadas são mais fáceis de alcançar.

Os estabelecimentos que conseguirem aumentar o valor do capital de giro certamente estarão propensos a uma maior seguridade das atividades em momentos de crise. Atitudes como aumentar a margem de lucro são fundamentais para uma maior captação de recursos financeiros.

Além disso, fomentar as vendas à vista é determinante para aumentar o volume de dinheiro em caixa, logo a capacidade financeira aumenta gradativamente.

Automatize os processos

É comum que, na maioria das empresas, os gestores serem responsáveis por diversas atividades dentro dos estabelecimentos. Por isso, controlar e gerenciar todos os dados de forma manual já não garante sucesso.

Esse modelo de controle aumenta o nível de informações equivocadas e não atualiza os dados em tempo real. Logo, automatizar os processos dá uma maior seguridade às informações. Atualmente, existem diversos softwares de gestão que otimizam o controle financeiro das empresas.

Essa forma de gestão aumenta o nível de informações, reduz o tempo e diminui os erros, ademais proporciona diversos modelos de relatórios, gráficos e indicadores que dão suporte para a tomada de decisão dos empreendedores.

Registre as movimentações

O fluxo de caixa é a principal ferramenta para a gestão do capital de giro. Sem saber quanto e quando ocorrerão as receitas e despesas é impossível calcular exatamente quanto a empresa possui e qual o valor das dívidas.

Por esse motivo, é indispensável que todas as movimentações sejam registradas, independentemente do valor. O fluxo de caixa pode ser projetado para 15, 30 ou até 60 dias, dependendo das necessidades de cada negócio, entretanto, é essencial que ele seja atualizado diariamente e remodelado quando necessário.

Busque renegociações

Conhecer o ciclo financeiro da empresa é vital para a organização dos negócios. Quando as dívidas vencem antes do recebimento das receitas, a empresa fica suscetível à falta da capacidade de honrar com as obrigações.

Dessa forma, uma das alternativas é renegociar as dívidas, ou seja, buscar por oportunidades que dão um maior prazo de pagamento. Em contrapartida, ofereça prazos menores para os clientes. Com isso, a receita entrará antes das datas de vencimento das dívidas, evitando o acumulo de contas atrasadas e o pagamento de juros e multas.

Gerencie o estoque

Você já ouviu alguém dizer que “estoque parado é dinheiro parado”? Isso significa que a quantidade de mercadoria no estoque é além do necessário para suprir a demanda com a sua clientela. Isso demonstra que o dinheiro da empresa não está sendo bem empregado.

Uma dica importante para esse gerenciamento é estabelecer um estoque mínimo que atenda a demanda e um estoque máximo, além de ajustar a prioridade dos itens.

Todas as etapas apresentadas são imprescindíveis para garantir um gerenciamento eficaz dos recursos financeiros da empresa. Dessa maneira, os negócios passam a ter garantias de uma maior sustentabilidade sem a necessidade de obter dívidas para a continuidade das atividades.

Agora você sabe como gerenciar capital de giro e qual a sua importância para um empreendimento. Deixe seu comentário no post e compartilhe da sua experiência conosco!

Você também pode gostar

Deixe um comentário